Pesquisa personalizada

domingo, 18 de janeiro de 2009

SATANÁS



"Satanás é um demagogo versátil, com várias facetas. Aos psicólogos apresenta-se como alguém que lhes pode dar conhecimento e compreensão. Aos adeptos do ocultismo oferece os segredos mais profundos da criação. Confronta os religiosos e moralistas como uma máscara de integridade e lhes promete auxílio dos céus e aos racionalistas e liberais diz que nem ao menos existe!

O diabo é um estrategista habilidoso, mestre de todas as táticas usadas num campo de batalha: confunde a frente de operações, esconde-se por trás de uma conversa religiosa sem significada, utiliza-se dos métodos científicos mais recentes. Lança sua argumentação a respeito dos planos sociais e humanitários, mas seu único objetivo é enganar, desviar e iludir suas vítimas ".(1)

Satanás, ou o diabo, tem sido objeto de inúmeros livros e discussões há milhares de anos. Há aqueles que negam sua existência, argumentando que não passa de uma figura mitológica. Há outros que vivem obcecados por ele, vendo-o em tudo que se possa imaginar.

ELE EXISTE

O diabo tem existência real. Não é invenção de alguém ou apenas um símbolo do mal, mas existe como pessoa. Teve um início, está em ação, mas no final dos tempos vai ser julgado por Deus. Como sabemos que existe?

Se temos uma convicção firme de que a Bíblia é a revelação sobrenatural do Deus vivo e verdadeiro, correta em suas afirmações, podemos recorrer a ela para ver o que diz sobre o diabo e seus planos.

A CARREIRA DE SATANÁS

A carreira de Satanás teve início num passado distante. Deus criou uma multidão de anjos para atender suas ordens. Na hierarquia dos anjos havia um que ocupava o mais alto posto, como guardião do Trono do Altíssimo, cujo nome era Lúcifer.

Lúcifer

Ezequiel 28:11-19 nos revela alguns fatos sobre ele. Esta passagem é dirigida ao príncipe de Tiro, um homem presunçoso por causa da sua riqueza, que se imaginava como sendo Deus. Ao mesmo tempo em que censura o príncipe de Tiro por sua vaidade, apresenta outro personagem a quem chama de rei de Tiro, o causador do comportamento do príncipe.

"Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, levanta lamentações contra o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda do ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti" (Ezequiel 28:11-15).

Em seu tratado doutrinário sobre Satanás, Lewis Sperry Chafer comentou:

"De acordo com as Escrituras, o propósito supremo de Satanás é tornar-se igual ao Altíssimo, propósito este que já existia antes da criação do homem, e que tem sido uma constante desde então. A Bíblia também ensina que ele goza, no presente século, de um poder especial, sendo-lhe permitido exercer este poder para que, junto com seus seguidores, faça uma demonstração final a todo o universo da inutilidade de suas afirmações e de sua impotência por estar completamente independente de seu Criador. Está claramente previsto em 2 Timóteo 3:9, como a conseqüência final da atitude do mundo de viver independente de Deus: "Eles, todavia, não irão avante: porque a sua insensatez será a todos evidente, como também aconteceu com a daqueles".

O rei de Tiro é Lúcifer. Era perfeito em todos os sentidos, ocupando a posição mais elevada entre os seres celestiais, a mais bela e sábia criação de Deus. Então, ao lado dos outros anjos, estava em perfeita harmonia com Deus. Não havia revolta, nem descordo, mas uma única vontade do universo, a vontade de Deus. Tudo era belo e harmônico.

A queda de Lúcifer

Tudo era harmônico até o dia em que Lúcifer resolver rebelar-se contra Deus. O profeta Isaías revela a perversidade de Lúcifer:

"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações. Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo".

Donald Grey Barnhouse afirma o seguinte a respeito da queda:

"O versículo 15 do relato de Ezequiel nos mostra a origem do mal no mundo: 'Perfeito eras nos teus caminhos desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti"'.

O caráter desta iniqüidade é revelado com detalhes na profecia de Isaías, mas há indícios interessantes que não podemos deixar de notar. A iniqüidade surgiu pelo que poderíamos chamar de geração espontânea no coração daquele ser em quem magnificência de poder e beleza haviam-se combinado, e a quem tamanha autoridade e privilégio haviam sido dados. Ali teve início o pecado: a iniqüidade foi encontrada no coração de Lúcifer". (2)

Segue-se um comentário sobre a queda de Satanás narrada no livro de Isaías:

Comparando-se este texto com o de Ezequiel, fica evidente que a origem do pecado foi o orgulho de Satanás, seguindo-se manifestações de rebeldia contra a vontade de Deus.

O surgimento de Satanás

O pecado de Lúcifer foi a rebelião. Dizia em seu coração:

- Subirei ao céu.

- Exaltarei o meu trono acima das estrelas de Deus.

- Assentar-me-ei no monte da congregação.

- Subirei acima das mais altas nuvens.

- Serei semelhante ao Altíssimo.

Esta rebelião provocou a queda de Lúcifer, transformando em Satanás. A manifestação de outra vontade no universo, contrária à de Deus, trouxe desarmonia onde reinava a harmonia. Quando Lúcifer se rebelou, muitos anjos se rebelaram com ele, pretendendo aniquilar a vontade de Deus, e, como resultado, ele e sua corte forma expulsos da presença e favor de Deus.

Deve-se salientar que Deus não criou o diabo. Sempre nos perguntam por que um Deus bondoso criou diabo e devemos responder que ele não o fez. Deus criou Lúcifer, superior entre os anjos concedendo-lhe beleza, inteligência e posição privilegiada, além de uma vontade livre para fazer o que lhe aprouvesse.

Posteriormente Lúcifer organizou uma rebelião contra Deus, e a partir daí tornou-se conhecido como o diaba ou o adversário. Não foi criado com este objetivo, e nem era vontade de Deus que ele agisse independentemente de Sua vontade. Entretanto, houve uma rebelião e, em conseqüência, Lúcifer tornou-se inimigo de Deus e de Sua obra.

A CRIAÇÃO DO UNIVERSO

Depois da rebelião dos anjos Deus criou o universo como o conhecemos hoje. Nada nos é dito quanto ao que havia antes desta criação, e só podemos especular a respeito. A Bíblia diz: "No início Deus criou os céus e a terra" (Gn 1:1). Gênesis 1 nos revela o trabalho criador de Deus. Sua última e maior criação foi o homem.

A CRIAÇÃO DO HOMEM

A Bíblia deixa claro que o homem foi criado por Deus à Sua imagem: "Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou".

O homem é a coroa da criação de Deus. Foi colocado num local perfeito onde tudo que possa ser concebido estava ao seu dispor. Estava em harmonia com Deus, a natureza, seus semelhantes e consigo mesmo.

A QUEDA DO HOMEM

Entretanto, Satanás invejava o relacionamento especial que Deus mantinha com o homem. Em Gênesis 3 há um relato do que aconteceu quando Satanás apareceu a Adão e Eva no Jardim do Éden em forma de serpente:

"Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o Senhor Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comerás de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e como Deus sereis conhecedores do bem e do mal" (Gênesis 3:1-5).

O ceder à tentação trouxe, como conseqüência, a ruptura daquele relacionamento especial que havia entre Deus e o homem.

DEPOIS DA QUEDA

Depois do acontecimento no Jardim do Éden, Deus e Satanás vêm travando uma grande batalha cósmica da qual o homem é o galardão. Deus busca levar o homem de volta para gozar de um relacionamento correto com Ele, enquanto Satanás quer distanciá-lo de Deus. Além disso, a Bíblia diz que o homem incrédulo foi cegado espiritualmente por Satanás para impedi-lo de ir a Cristo.

"Mas, se o nosso evangelho ainda está encoberto, é para que os que se perdem que está encoberto, nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus" (2 Coríntios 4:3,4).

NOMES DE Satanás

Este texto traz um ensino importante. Satanás é chamado de "o deus deste mundo", e esconde o evangelho de Cristo do entendimento dos incrédulos. Ele fará tudo para impedir que as pessoas conheçam a Deus. Além de ser chamado de "o deus deste mundo", Satanás recebeu outros nomes na Bíblia que descrevem seu caráter e seus métodos. Eis alguns:

1. Diabo (João 8:44) é uma palavra grega que significa "o acusador e caluniador". Chamá-lo assim, é dizer que levanta acusações falsas contra os outros, e que seu objetivo é prejudicar a Deus e ao homem, proferindo mentiras de todo tipo para alcançar seus fins. O dito popular - "O diabo me obrigou a fazer insto" - não passa de uma desculpa. Você fez porque escolheu seguir sua velha natureza pecaminosa. O diabo tenta!

2. Satanás (Mateus 12:26) é uma palavra hebraica que significa "o que resiste ou adversário". É o mesmo que dizer que ele reina sobre um reino de trevas que se opõe a Deus. "Satanás é uma criatura viva. Não é corpóreo mas um ser espiritual, o que não o torna menos real. O fato de ser invisível e muito poderosos ajuda-o a perseguir sua causa. A noção de que Satanás é uma palavra que designa a influência maléfica generalizada e não o nome de uma personagem viva específica é totalmente anti-bíblica... Quanto menos conhecimento se tem a respeito dele, mais ele se alegra, pois o fato de ignorarmos sua tática lhe concede vantagem. Para ele é mais interessante que não se creia em sua existência." (3)

3. Tentador (Mateus 4:3) descreve o modo de agir do inimigo. Não satisfeito em colocar os pecados dos homens diante de Deus, procura levá-los ao pecado, pois ele próprio é um pecador. É chamado de tentador porque tenta os homens prometendo-lhes, como recompensa por desobedecer a Deus, prazeres, poder terreno ou conhecimento semelhante ao de Deus.

4. Pai da mentira (João 8:44). A mentira é uma de suas táticas. Para cumprir seu trabalho, tentando os homens com promessas, o inimigo precisa mentir, e por mentir muito foi-lhe dado , com justiça, este nome. Não é apenas um mentiroso, mas o pai da mentira. Ele odeia o que Deus ama e ama o que Deus odeia.

5. Senhor da morte (Hebreus 2:14). O inimigo tem o poder da morte porque acusa o homem pecador. O Filho, fazendo parte do gênero humano, confrontou o inimigo com a retidão humana que não pode ser alvo de acusação - o inimigo é destruído e o homem é libertado.

6. Belzebu (Marcos 3:22, 23) significa "senhor do monturo" ou "senhor das moscas". Crê-se que esta palavra seja uma corruptela de Baalzebub, nome de um deus dois filisteus considerado muito mau pelos judeus (2 reis 1:2,3)

7. Belial (2 Coríntios 6:15) é um nome que originalmente aplicava-se a qualquer pessoa má. Neste contexto é usado como sinônimo de inimigo. A palavra em si significa "desprezível", aqui, corporificando tudo o que é desprezível, o inimigo.

8. O maligno (1 João 2:13). As referências bíblicas procuram apresentar a imagem do inimigo como o supremo malfeitor, a daí lhe vem o nome.

9. Príncipe do mundo (João 14:30). Segundo a Bíblia o mundo é o gênero humano opondo-se a Deus. O inimigo é o inspirador e líder desta oposição, e tem poder para agir no mundo, pelo que faz juz ao título. Pela mesma razão, em 2 Coríntios é chamado de "deus deste mundo". Os dois tratamentos nos dão uma noção da esfera de ação do poder de Satanás na terra.

10. Príncipe da potestade do ar (Efésios 2:1,3). O poder do inimigo no presente século manifesta-se não só na terra mas no espaço. (4)

No "Dictionary of Satan" (Dicionário de Satanás) são mencionados vários nomes que são dados a Satanás:(5)

Um tratado do século XV, Malleus Maleficarum, escrito por Heinrich Kramer e Jakob Sprenger, menciona que Satanás pode ser invocado sob vários nomes, cada um deles com um significado etimológico diferente:

Asmodeu, criatura do julgamento; Satanás, o adversário,Behemoth, a besta; Diabolus, o diabo, e representa o corpo e a alma, os quais ele mata. Demônio, sedento de sangue; Belial, sem senhor; Belzebu, pai da mentira.

Eis alguns de seus nomes em várias línguas:

árabe - Sheitan

linguagem bíblica - Asmodeus (ou Belial ou Apollyon)

egípcio - Set

japonês - O Yama

persa - Dev

russo - Tchort

sírio - Behirit

galês - Pwcca

AS ESTRATÉGIAS DE SATANÁS

Uma de suas estratégias é convencer o mundo de que ele não existe. Denis de Rougemont fez uma observação penetrante:

"Satanás se disfarça por detrás de sua própria imagem. Mostra-se com uma aparência grotesca que o torna inofensivo aos olhos de pessoas instruídas, pois se o diabo é apenas um demônio vermelho que usa um enorme tridente, ou um fauno com cavanhaque e um longo rabo da lenda popular, quem iria preocupar-se em crer ou mesmo dizer que não acredita nele?

O que parece inacreditável não é o diabo ou os anjos, mas a fraqueza e credulidade dos céticos e o sofisma imperdoável que os torna vítimas: 'O diabo é um senhor de chifres vermelhos e um longo rabo, portanto não creio nele'. Assim, o diabo os tem exatamente onde quer." (6)

Segundo as Cartas de Screwtape, obra de ficção do conhecido pensador cristão C.S.Lewis, o demônio é retratado instruindo seu aprendiz assim:

"Supreende-me que você tenha perguntado se é importante manter o paciente na ignorância da nossa existência... Nossa orientação para o momento é nos ocultarmos. É claro que não tem sido assim sempre. Estamos nos deparando com um difícil dilema. Quando os humanos não crêem em nossa existência somos frustrados em nosso prazer de terrorismo direto, e não nos transformamos em mágicos. Por outro lado, quando acreditam em nós, não podemos transformá-los em materialistas e céticos... O fato de os "diabos" serem reconhecidos como figuras cômicas na imaginação moderna vai ajudá-lo. Se a mais leve suspeita de sua existência for levantada em suas mentes, sugira-lhes a imagem de alguém usando roupas vermelhas e persuada-os de que se é impossível crer nisto... não podem crer em você". (7)

Há muitos falsos mestres atualmente ensinando que não há necessidade de seguir o caminho da cruz. A Bíblia nos adverte contra tais indivíduos:

"Assim como no meio do povo sugiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão dissimuladamente heresias destruidoras, até ao ponte de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou , trazendo sobre si mesmos repentina destruição" (2 Pedro 2:1).

Os falsos mestre são geralmente sinceros e cheios de zelo humanitário, mas não forma regenerados. Chega-se a esta conclusão quando se percebe que eles negam o fundamental da redenção. Não sendo regenerados, pode-se dizer a respeito deles: 'Ora, o homem natural não aceita as cousas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las porque elas se discernem espiritualmente' (I Coríntios 2:14). Estes líderes religiosos podem ser muito instruídos e capazes de falar com autoridade sobre todos os aspectos do conhecimento humano, mas se não são nascidos de novo, seu discernimento em assuntos espirituais é errôneo e sem valor. Todos os mestres vão ser julgados por sua posição quanto à doutrina da redenção sangrenta de Cristo, e não por suas personalidades cativantes ou sinceridade. (8)

Satanás vai usar de todas as artimanhas para impedir as pessoas de chegarem a Cristo. Se o indivíduo cometeu muitos pecados e sente-se culpado, Satanás tentará convencê-lo de que não é bom o suficiente para Deus e que Deus não o aceitará. Há muitos que não vão a Deus porque acham que não serão perdoados.

A Bíblia ensina que qualquer pessoa pode ir a Cristo, e, a despeito do que tenha feito, recebe o perdão. Mateus 11:28 diz o seguinte: "Vinde a mim todos os cansados e sobrecarregados e eu vos aliviarei". Posteriormente Jesus afirmou; "Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora" (João 6:37).

Há os que são enganados por Satanás mas pela razão oposta: ao invés de acharem que são muito maus para irem a Deus, acham-se muito bons para precisarem dEle. Se não cometeu algo que considere terrível, o indivíduo pensa que não tem necessidade de um Salvador. Pessoas assim estão dispostas a chegar diante de Deus baseadas em seus próprios méritos, nas boas obras que praticaram, pois certamente serão aceitas. Entretanto a Bíblia diz o seguinte: "Porque todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus" (Romanos 3:23) e "O salário do pecado é a morte mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna por intermédio de Jesus Cristo, nosso Senhor" (Romanos 6:23).

O DESTINO DE SATANÁS

Satanás está vivendo num tempo emprestado. Deus prometeu em Sua Palavra que Satanás e seus anjos receberão castigo eterno pelos crimes que vêm cometendo contra Deus e o homem.

"Então o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos" (Mateus 25:41).

"O diabo, o sedutor deles, foi lançado para dentro do lago de fogo e enxofre, onde também se encontram não só a besta como o falso profeta; e serão atormentados de dia e de noite pelos séculos dos séculos" (Apocalipse 20:10).

Então, Satanás será expulso de uma vez para sempre da presença de Deus, tornando-se incapaz de infligir sofrimento a alguém. Sua separação eterna de Deus e castigo serão o justo fim para sua inglória carreira de príncipe das trevas.

"E o Pai a ninguém julga, mas o Filho confiou todo o julgamento" (João 5:22). Jesus derrotou Satanás e seus demônios, invadindo seu território e expulsando os demônios dos endemoninhados (Mateus 12:28-29). Antecipou sua derrota final quando os discípulos voltaram contando que os demônios haviam sido dominados por eles por intermédio do poder de Cristo (Mateus 10:1, 17-20).

Por meio de Sua morte e ressurreição, Cristo selou o julgamento final de Satanás e seus demônios. A cruz demonstra o ódio e juízo de Deus de todo pecado. O único Justo precisou morrer para que os injustos fossem perdoados (1 Pedro 3:18). (9)

QUAL DEVE SER NOSSA ATITUDE PARA COM SATANÁS

A Bíblia nos exorta a tomar a atitude adequada em relação a Satanás para lidar com eficácia com suas ciladas. Instamos para que observe as recomendações bíblicas:

1. Esteja consciente de que ele existe.

A Bíblia ensina que Satanás existe mas que procura esconder este fato do mundo. "E não é de admirar; porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme suas obras" (2 Coríntios 11:14,15). Já comentamos que uma das táticas de Satanás é fazer crer que ele é uma figura simbólica do mal. Gostaria de ser visto como "anjo de luz" ou o homenzinho engraçado de roupa vermelha e o tridente, e não como perigoso, mau, embora esteja condenado como adversário do Senhor Deus e de toda a humanidade.

2. Esteja consciente de seus motivos.

Desde o instante em que se rebelou até sua destruição final, deu desejo tem sido o de igualar-se ao Altíssimo. Quer ser adorado e obedecido. Quer ser cultuado pelos que, por direta razão, devem cultuar a Deus. Quer que acreditem que ele é bom e Deus é mau. O culto que deseja não é um culto esclarecido de um deus que se conhece e é levado a sério.

Engana as pessoas fazendo com que o cultuem e o sirvam sem se darem conta do que estão fazendo. Quer preparar o mundo para ser dirigido por ele, por intermédio do anticristo, imediatamente antes da Segunda Vinda de Jesus Cristo. Lewis Sperry Chafer fez a seguinte observação, bem apropriada:

"A humanidade caída não reconheceu, a princípio, Satanás como seu objeto de culto e cabeça. Numa sociedade em que será recebido como supremo, personificado pela Besta do Apocalipse 13, deve ser estabelecida e desenvolvida a irreverência crescente e licenciosidade em relação a Deus. Para isto tem ocultado sua pessoa e planos mesmo daqueles que o aceitam como autoridade e nos quais ele é um poder ativo. Este é o motivo pelo qual estas pessoas não acreditam em sua existência real e por ignorância o rejeitam, considerando-o uma figura mística. Quando cultuam e por meio de algum ídolo ou médium, ou pela personificação de Jeová, e quando governa é através do que parece a voz de um rei ou a voz do povo. A espantosa irreverência do mundo moderno é a preparação certa para a futura manifestação direta de Satanás, como está profetizado em Daniel 9:2; 2 Tessalonicenses 2 e Apocalipse 13. (8)

3. Esteja consciente de seus métodos.

A Bíblia nos diz para estarmos atentos às ciladas do diabo, pois sua vontade é destruir o crente.

"Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, ainda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar" (1 Pedro 5:8).

Um dos seus métodos é o engano. Desde que enganou Eva no Jardim do Éden, até hoje tem aprendido a mentir. A Bíblia diz: "E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo..." (Apocalipse 12:9). "Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer os seus desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere a mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira" (João 8:44).

Engana de várias maneiras. Uma de suas favoritas é fazer com que o indivíduo sinta-se satisfeito sem Jesus. Se o indivíduo não sente necessidade de Deus, não se voltará para Ele. Por isso tenta manter as pessoas satisfeitas o suficiente para que não se voltem para Cristo.

Outro engano utilizado por Satanás e a falsificação. Tudo o que Deus tem operado na história tem sido falsificado por Satanás. Sua especialidade é a religião. Ele gosta que os indivíduos sejam religiosos, que vão à igreja, que pensem que está tudo bem entre eles e Deus, quando na verdade, ocorre o contrário.

O indivíduo que tem fé em alguma religião sem aceitar a Cristo como seu Salvador está perdido, embora pense que está em comunhão com Deus. O homem religioso, confiando em suas obras, é um exemplo do indivíduo enganado por Satanás, pois Deus já nos revelou que para um correto relacionamento com ele precisamos ir até a cruz, à morte de Cristo por nossos pecados.

Precisamos também reconhecer que se não for por Cristo não podemos conhecer a Deus. Satanás quer transformar este fato. Os cristãos são acusados de "quadrados", por afirmarem que Jesus é o único caminho que leva a Deus. A Bíblia nos diz o que Deus pensa daqueles que não levam a sério a necessidade da morte de Cristo na cruz:

"Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas cousas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia. E Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda! Satanás; tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das cousas de Deus, e sim, das do homens" (Mateus 16:21-23).

O Senhor estava reconhecendo o contraste agudo entre os caminhos de Deus e os caminhos do homem caído que, na realidade, identificam-se com os caminhos de Satanás. Este não pode confiar no poder de Deus porque O rejeitou. O homem caído também rejeitou a Deus (Romanos 3:12) e só pode voltai-se para EIe por intermédio do sacrifício mediador de Jesus Cristo.

O homem caído, com a ajuda e aprovação de Satanás, criou uma grande variedade de crenças religiosas como meios de alcançar o favor de Deus, mas sem submeter-se a ele. Satanás se alegra quando os indivíduos confiam em sua religiosidade e não em Jesus Cristo.

4- Esteja consciente de suas limitações.

Satanás, o grande enganador, tenta fazer com que acredite que ele é maior do que é na realidade. Uma das concepções errôneas que se tem a respeito dele é que é igual a Deus. Nada está mais longe da verdade.

Deus é infinito, enquanto Satanás é finito ou limitado. Deus é onipresente, ele não. Deus é onisciente, capaz de ler todos os nossos pensamentos, Satanás não. Deus é onipotente, ele não. Deus pode fazer tudo, Satanás não. Entretanto, ele gostaria que as pessoas cressem que possui estes poderes. Infelizmente há muitos crentes que lhe dão crédito por tudo que acontece às vezes indevidamente.

A Bíblia nos diz: "Filhinhos, vós sois de Deus e os tendes vencido, pois maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (1 João 1:4).

Precisamos nos convencer de que Satanás não é todo poderoso, que foi derrotado pela morte de Cristo na cruz. O poder do pecado sobre nós foi destruído. Devemos respeitar seu poder, mas não temê-lo a ponto de pensar que pode habitar nos crentes e obrigá-los a agir contra a vontade. O poder de Deus é maior, mas o grande enganador quer fazer com que muitos duvidem disto. Esteja consciente das limitações de Satanás e do poder ilimitado de Deus.

A Bíblia diz que Cristo veio ao mundo para destruir as obras do diabo (1 João 5:8). Isto já se concretizou. A vitória está ganha, Satanás foi derrotado.

A Escritura nos exorta: "Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo" (Efésios 6:11). Para ficarmos firmes temos de reconhecer que o diabo existe, quais são seus métodos, motivos e suas limitações. Sabendo isto, seremos capazes de combater Satanás e seus ataques de maneira inteligente, seguindo os princípios dados por Deus:

"Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo; porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Portanto tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade e vestindo-vos da couraça da justiça; calçai os pés com a preparação do evangelho da paz; embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus" (Efésios 6:11-17).


(1) Kurt Koch - "The Devil's Alphabet". O Alfabeto do Diabo, Grand Rapids, MI: Kregel Pub., 1971.

(2) Donald Grey Barnhouse. The Invisible War - A Guerra Invisível. Grand Rapids, MI: Zondervan Publising House, 1965.

(3) McCandlish Phillips. The Bible, teh Supernatural and the Jews - A Bíblia, o Sobrenatural e os Judeus.

(4) David W. Hoover. How to Respond to the Occult - Como Reagir ao Oculto. St.Louis, MO:Concordia Pub. House, 1977.

(5) Wade Baskein, Dictionary of Satan - Dicionário de Satanás, NY: Philosophical Library, 1972.

(6) David Rougemont. The Devil's Share - O quinhão de Satanás, cit por D.G.Keh im Demons Possession, ed.John Warwick Montgomery, Minneapolis, MN: Bethany Fellowship, 1976.

(7) C.S. Lewis, The Screwtape Letters - As Cartas de Screwtape. Nova Iorque: MacMillan Publ.Co, 1961.

(8) Lewis Sperry Chafer. Satan. Grand Rapis, MI: Zondervan, 1919.

(9) C. Fred Dickason. Angels: Elect and Evil - Anjos: eleição e mal. Chicago, IL: Moody Press, 1975.


FONTE: Entendendo o Oculto - Josh McDowell e Don Stewart. Editora Candeia, 1992.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...